GUIA SOBREVIVENCIA COMPLETO


   Tutorial: Armazenando grãos em garrafas PET

Depois de tanto conhecimento teórico explicado em posts anteriores sobre armazenamento, está na hora de começarmos a colocar a mão na massa! Preparamos então um tutorial de como armazenar grãos dos mais diversos tipos em um objeto simples e encontrado em QUALQUER lugar… a garrafa PET.
O ideal é armazenar alimentos em jarros de vidro, mas convenhamos, ninguém tem acesso fácil a grandes recipientes e ainda temos o inconveniente de serem extremamente frágeis. Então para começar… Porque armazenar comida em garrafas PET?
Este item muitas vezes jogado fora por milhares de famílias todos os dias é um ótimo recipiente para armazenar comida e líquidos por um tempo muito grande, visto que pode ser hermeticamente fechado e tem uma resistência incrível a impactos. Seu custo é irrisório e não ocupa muito espaço quando falamos em armazenagem.
Uma das grandes preocupações em torno desta prática é a possível liberação da toxina Bisfenol A nos alimentos armazenados dentro da garrafa. Esta toxina quando ingerida em grande quantidade de forma constante pode causar problemas nas mais diversas áreas do corpo, porém existem alguns fatores que nos deixam menos preocupados quanto a esta situação:
  •  A ANVISA proibiu limites excessivos dessa toxina em todos plásticos que armazenam líquidos e comida desde 2011;
  • O Bisfenol A é liberado no alimento após longo tempo de armazenamento (em locais quentes) e mesmo assim não possui quantidade o suficiente para causar danos ao corpo;
Bom, visto que estamos seguros quanto a essa dúvida, podemos então prosseguir com a idéia. Segue o vídeo:
Caso não seja possível visualizar o vídeo, segue o conteúdo em texto abaixo (com adições e subtrações de conteúdo):
Você pode armazenar qualquer tipo de grão com o processo abaixo e, apesar de parecer trabalhoso, vale a pena fazer seu estoque desta forma fácil e barata. Veja os passos abaixo:
_____________________________________________________________________________________
Primeiro passo: Higienização
Para iniciar devemos higienizar a garrafa PET. O processo é bastante simples, basta lavar o recipiente com detergente e depois enxaguá-lo com álcool para eliminar qualquer resíduo ou bactéria presente. Depois disso, deixe a garrafa secar no sol.
Tire todo o sabão restante após a lavagem
Antes de prosseguir, certifique-se que a garrafa está completamente seca, pois qualquer umidade presente em seu interior pode estragar os grãos armazenados ali.
Segundo passo: Inserção do alho e grãos
Agora, vamos utilizar dentes de alho para absorver a umidade e agir como bactericida para qualquer tipo de organismo que tente crescer dentro da garrafa. O ideal é utilizar um dente de alho a cada quatro dedos de grãos.
Para facilitar o processo de colocar os grãos na garrafa, faça um funil com a boca de outra garrafa, desta forma:
Corte a parte superior de uma garrafa PET e use como funil
Quando você terminar de encher a garrafa, vamos à próxima etapa.
Terceiro passo: Compactação de grãos
Por mais que a garrafa já pareça cheia, ainda cabem muitos grãos a mais. Pressione os feijões na boca da garrafa e bata ela sobre uma superfície dura, o impacto fará os grãos se ajeitarem melhor fazendo com que o espaço de armazenamento seja otimizado.
Bata com força para que os grãos se acomodem e liberem mais espaço
Você terá de repetir esse processo várias vezes, até não haver mais possibilidade de inserir novos grãos.
Quatro passo: Armazenando à vácuo
Nesta etapa você precisará de papel alumínio, algodão, álcool e fósforos.  Com todos materiais prontos, você deve rasgar um pequeno pedaço de papel alumínio e formar uma espécie de “cama” nele e após molhar o algodão em álcool,  insira-o  dentro do papel alumínio.
Coloque o algodão molhado com álcool na "cama"
Posicione o alumínio com álcool sobre os grãos da boca da garrafa e com cuidado incendeie o algodão. O alumínio protegerá o plástico do fogo por tempo suficiente até você fechar a garrafa com a tampa.
Cuidado para não queimar os dedos nesta etapa
Ao fechar a garrafa o fogo continuará acesso até consumir todo o oxigênio da embalagem, finalizando esta etapa.
Quinto passo: Vedando à parafina
Apesar de já ter finalizado o armazenamento, sabemos que somente a tampa não é capaz de manter o vácuo por muito tempo. Para garantir que seus grãos durem vamos vedar a fresta entre a tampa e a garrafa utilizando parafina. Para isso, acenda uma vela e vá pingando a parafina derretida no pequeno vão da tampa:
Tente fechar o vão inteiro
Isso ajudará a manter seus grãos devidamente isolados das intempéries externas.
Sexto passo: Finalizando com fita adesiva
Para completar, vede a tampa da garrafa com fita adesiva, tentando cobrir a região superior da garrafa e a tampa por completo:
Gasta fita adesiva, porém vale a pena!
Seu armazenamento está pronto! Trabalhoso, porém simples. Agora vamos à identificação.
Sétimo passo: Identificando com etiquetas
Para você possuir um controle das datas em que armazenou os grãos e até quando vão as validades, insira duas etiquetas na garrafa, uma contendo o prazo de validade original do produto (que está na embalagem) e outra com a data de armazenamento:
Escreva à mão mesmo, só certifique-se de deixar a letra legível!
Pronto! Agora cubra as etiquetas com fita adesiva para protegê-las da sujeira ou água. Armazene as garrafas em um local escuro e de preferência sem umidade excessiva.
___________________________________________________________________________________
Seguindo os passos acima você já garantiu 2kg de grãos armazenados por um longo período. O ideal é ter um mês de alimentos em casa e, fazendo mais algumas garrafas destas você atingirá esta meta rapidamente.
Após chegar à quantia que você considera adequada para sua preparação utilize o sistema rotativo em seu estoque, consumindo a garrafa mais velha e inserindo uma nova no local. Isto fará com que você utilize os grãos antes que a validade original expire e ainda assim manterá seu estoque devidamente abastecido!
Algumas correções após postagem: 
– Para grãos como o feijão, é interessante escolher os grãos, afim de tirar aqueles que possam estar podres;
– Se caso o local de armazenamento do saco de feijão for propício à umidade, antes de armazenar os grãos deixe-os por duas horas sob sol ou 15 minutos no forno;
– É interessante adicionar também Grãos de pimenta do reino pois elas evitam o surgimento de carunchos.

Estocar e produzir comida: Alertas e benefícios


Enquanto armazenar sua comida é importante (veja nossos posts anteriores sobre armazenamento de comida aqui), não saber como criar ou achar sua própria comida é um grande erro. A filosofia que sigo é de planejar para o pior e preparar para situações mais horríveis ainda.
Em minha opinião você precisa focar no armazenamento de comida e aprender como produzi-la. Porquê?
Por que armazenar comida é importante:
1. Não ter um estoque de comida e água pode tornar até um desastre de pequenas proporções (como uma tempestade ou falta de energia) em uma situação potencialmente ameaçadora à vida. Ter comida guardada pode te ajudar a controlar a situação no conforto e proteção de sua casa.
Pessoas agem de maneira estúpida durante desastres e o último lugar que você quer estar é no meio do mercado lutando pela última garrafa de água.
2. Em uma situação de desastre (dependendo de sua natureza) haverão momentos onde será impossível obter comida. Isso pode acontecer por inúmeras razões como doenças, clima adverso ou a necessidade de se esconder por um tempo. Ter um estoque de comida nesse tipo de situação pode assegurar sua sobrevivência nos momentos mais baixos.
3.  Estocar comida para desafios econômicos. Ter comida guardada não é útil apenas para se preparar contra grandes desastres. É também uma ótima forma de superar os tempos difíceis que a vida pode jogar em você. Desde perder o trabalho até outros problemas financeiros que podem aparecer, ter um bom suprimento de comida vai ajudá-lo a sair-se bem em uma situação ruim.
4. Faz sentido estocar comida durante o cotidiano. Existem vários sobrevivencialistas que economizam muito dinheiro comprando comidas que estão com desconto. Olhe pelos panfletos de propagandas e procure as melhores oportunidades para estocar comida barata que você já come.
Porquê saber plantar e caçar comida é importante:
1. Cedo ou tarde seu estoque vai acabar! O único caminho para assegurar sua sobrevivência futura é saber como plantar, caçar e preservar sua comida.
2. Irá aumentar seu estoque. Nós não temos maneiras de saber quanto tempo um desastre vai durar. Ter um meio para recarregar seu estoque durante uma situação de crise é essencial para sua sobrevivência.
3. Irá fazer você ser valioso. Se as coisas realmente ficarem feias e você saber como produzir comida significa que você poderá produzir uma moeda de troca. As pessoas que gastaram seus tempos assistindo reality shows na T.V. estarão muito desesperadas. Quando as coisas ficarem ruins elas estarão dispostas a trocar quase tudo pelas suas provisões extras.
Esse breve texto surge com o intuito de sensibilizar a todos nossos visitantes para a facilidade e benefícios que o armazenamento de comida pode trazer, e mais que isso, está na hora de pensarmos nas possibilidades de produzir comida. Se você não leu nossos artigos prévios sobre o assunto recomendo que os acessem no hiperlink disponibilizado no início do post.
Neste mês tentarei postar sobre os princípios básicos de agricultura (como iniciar, cuidados a serem tomados e outros temas) e os ajudarei a fazer uma pequena horta em sua casa. Apesar de não possuir muita experiência na área, aprenderei sobre o assunto e junto construiremos esse conhecimento tão útil para nossa conduta sobrevivencialista.

Armazenando comida: Cinco erros que devem ser evitados


Se você leu os posts anteriores e decidiu começar a armazenar sua comida, preste atenção para evitar os erros mais comuns que iniciantes cometem.
1. Estocar comida que você não está acostumado a comer regularmente –> Já que armazenar pizza não vai dar certo, você precisa guardar comidas que você come no cotidiano. Uma situação de sobrevivência não é momento certo para provar algo pela primeira vez, pois se der errado você pode ficar com o estômago em frangalhos. Tenha certeza de guardar coisas que você realmente quer comer e que tenham um gosto agradável.
2. Guardar toda a sua comida em um único local –> Um erro comum é designar uma área da sua casa como “depósito”. Se você tem apenas um lugar disponível em sua casa já é melhor que nada, mas se você tem mais espaço tente guardar comida em áreas diferentes em caso de algum desastre inviabilizar o uso do depósito central (inundações, incéndios e outros).
3. Não usar sua comida armazenada –> Não se esqueça de rotacionar sua comida, guardar comida que você não come é gastar dinheiro à toa. Toda vez que você for à loja coloque sua comida nova no final dos seus suprimentos e consuma a que está com o prazo de validade mais avançado.
4. Tenha certeza que você sabe utilizar os itens –> Isto pode parecer bobo, mas você não iria acreditar quantos eu já vi por ai falando sobre os baldes de feijão que possuem mas que nunca cozinharam uma refeição na vida. Ter baldes cheios de trigo é ótimo se você sabe como utilizá-los, mas se você nunca fez um pão caseiro, que diferença estes baldes farão?
5. Não se esqueça de armazenar doces e pequenos luxos –> Durante a sobrevivência em uma crise, doces como chocolate podem servir como um grande aliado para aumentar a moral. Tudo bem, não é o melhor para seu corpo, mas pode te ajudar a se acalmar e limpar sua mente.
Estes foram os conceitos primários em relação à estocagem de comida, voltarei a postar assuntos diversos agora para que este conteúdo não fique enjoativo.

Pandemia: Com que velocidade uma doença pode se espalhar?


Com os casos de Ebola continuando a surgir em vários pontos do mundo é importante entender qual o real risco que sofremos em casos de doenças contagiosas. Hoje vamos discutir qual a velocidade que uma doença pode se espalhar e chegar aí, na sua casa.
Nós sabemos que gripes podem se espalhar como fogo selvagem principalmente em escritórios fechados e escolas, porém é virtualmente impossível termos dados de contágio que sejam fiéis a realidade. Isso acontece pois ninguém conseguirá lembrar com quantas pessoas entrou em contato direto ou indireto no dia.
Para obter uma estimativa geral, estudantes da Universidade de Stanford realizaram um experimento bastante interessante. Os pesquisadores selecionaram 788 estudantes voluntários para um projeto de pesquisa onde cada indivíduo carregou consigo um sensor de proximidade do tamanho de uma caixa de fósforo ao redor do pescoço durante o dia.
Sensor utilizado no experimento
O sensor registrou uma interação quando chegava próximo de outro sensor, ou seja, quando um aluno estava em contato próximo com o outro. Os sensores foram configurados para só registrarem quando chegassem a uma distância semelhante a necessária para realizar o contágio da gripe.
Resultado? No final de apenas um dia os pesquisadores coletaram os dados e encontraram um total de 762.868 interações registradas, isso em apenas 788 estudantes! Apesar de haverem algumas diferenças nas quantidades de interações entre cada indivíduo, os números eram muito próximos de maneira geral.
Fato é que, ao aumentarmos estes números em termos de escala global, os dados se tornam impressionantes e preocupantes. Além disso, com velocidade de transporte que temos hoje em dia a distância geográfica se torna irrelevante, visto que em menos de um dia um indivíduo contaminado pode cruzar continentes.
Se vocês quiserem conferir, o site do Financial Times disponibilizou uma simulação de como o contágio aconteceria por meio de viagens internacionais.Basta clicar aqui para verificar o simulador.
Enfim, com todos estes dados é clara a necessidade dos países tomarem medidas rígidas para controlar o avanço de tais doenças, não é? Infelizmente não é o que acontece. Veja só:
  • Atualmente 8 países já tiveram casos confirmados de Ebola;
  • Mais de 200 profissionais da área da saúde já morreram durante a luta contra a pandemia;
  • Na Espanha um paciente em isolamento acabou por contaminar uma enfermeira que o atendia, mesmo esta usando todas as proteções adequadas, o que evidencia falha nos processos de segurança;
  • Nos EUA, dos 5.700 hospitais disponíveis em todo o país, somente quatro estão equipados para tratar pacientes com Ebola e nestes quatro só existem 19 leitos.
Preferi manter os dados somente de países mais avançados que o nosso para mostrar que se a realidade deles está ruim, a nossa provavelmente poderá ficar pior se não nos cuidarmos. Se um dos países mais ricos atualmente só pode tratar 19 pessoas contaminadas, quantas nós podemos?
Pois é. O maior ponto de preocupação é que pelo o Ebola é um vírus e, por isso, pode facilmente sofrer uma mutação (dado o contágio persistente entre humanos) e piorar o cenário radicalmente. Não gosto de ser alarmista, mas é fato de que estou severamente preocupado com o aumento dos relatos e principalmente das informações e boatos desencontrados que ouvimos por aí.
Se você quiser entender um pouco mais sobre o Ebola e como se proteger contra uma possível pandemia deste vírus recomendo que veja este vídeo que gravei mês passado. Apesar de ter alguns dados relativamente desatualizados, o contexto ainda é o mesmo. Segue:
Estejam atentos e não se deixem enganar. Procurem por mais de uma fonte quando ouvirem uma notícia preocupante e busquem criar planos de isolamento para você e sua família caso as coisas desandem de vez.

SHTF School: Como lidar com doenças em cenários de crise de longa duração


Existem grandes preocupações sobre uma possível pandemia do Ebola saindo da Africa. A mídia tem inclusive nos bombardeado de informações. Eles divulgam que as possíveis razões para o vírus estar tão forte na Africa são de caráter religioso e cultural, pois as pessoas manejam os corpos sem conhecimento adequado e contribuem para a propagação. Dizem também que eles não tem conhecimento geral sobre doenças, higiene e comem carne de caça sem restrição ou análise da carne. Fatos interessantes para serem lidos, sem dúvida.
Eles também dizem que não existe possibilidade alguma de um cenário apocalíptico acontecer onde uma pessoa entra em um voo e contamina todo mundo, pois a doença só se propaga por fluídos corporais. Toda essa informação é válida, mas em algum lugar no final do artigo há uma frase assim: “… Então claramente não há razão para pânico…”
Como eu já disse algumas vezes, sempre quando alguém do governo, das leis ou semelhantes dizem que “não há razão para pânico” eu tenho uma vontade enorme de comprar mais suprimentos (comida, água, máscaras de gás…). Tudo bem, eu sou um cara estragado que teve uma experiência ruim por ouvir declarações semelhantes, mas vamos usar o senso comum aqui.
A mídia diria em algum momento que “é tempo de entrar em pânico”? Que é tempo de se preparar? Não. Isso causaria caos e algumas pessoas sempre exageram à situação. Não apareceriam ao trabalho… enfim, isso poderia levar ao colapso por si só. As pessoas não pensam mais por elas mesmas, então a mídia sempre tem o papel de deixar as pessoas calmas, é assim que o sistema funciona.
Pânico é ruim em qualquer caso. Lendo como muitos preparadores andam assustados, parece que eles estão sempre em um constante estado de emergência. Isso não faz sentido algum e só deixa nossa vida miserável. Nós nos preparamos para qualquer possibilidade, não para ficar no “modo pânico”.
Primeiro se prepare e depois evite o pânico. Claro que ficar alerta faz parte e usar o bom senso também.
O Ebola é assustador e pode se tornar um grande problema, mas assim como os tubarões matam dez pessoas por ano e os elefantes matam dez vezes mais, muitas vezes o que percebemos como coisas inofensivas são as que nos causarão os maiores problemas. Sobrevivência é simplesmente ver os perigos onde eles estão. Dentro desse pensamento, é como a obrigação de ver se o seu banheiro não é escorregadio, pois muitas pessoas morrem escorregando ao sair do banho.
Hoje eu escrevo sobre os assassinos regulares que experienciei no meu tempo de guerra.
Feridas infeccionadas
Não precisa ser uma ferida grande para te deixar com problemas. Em uma crise um pequeno corte pode te matar (literalmente). Em um mundo onde não há tratamento médico você deverá estar pronto para lidar com problemas como esses.
Durante o meu tempo de crise houveram vários problemas com infecções de machucados. Todo tipo, desde cortes pequenos até perfurações por tiros, tinham chance de ficarem infectados. Nós tratávamos as feridas infeccionadas com o que tínhamos, com o tempo haviam menos e menos recursos até que chegou o ponto onde usávamos apenas água e algumas misturas de coisas para curar as infecções. As receitas eram diferentes, desde pedaços de pinho até alho para ser colocado nas feridas e claro, as bebidas alcoólicas também.
Algumas vezes nós tínhamos antibióticos, mas a maioria do tempo não. Os resultados eram aleatórios. O que funcionava para um cara algumas vezes não funcionava para outro, algumas pessoas morreram e outras ficaram com sequelas.
Para cenários de crises futuras eu sugiro que você aprenda o máximo que conseguir sobre tratamento de feridas.
  • Como limpar e fechar uma ferida e como usar antibióticos da forma correta;
  • Lembre-se que pequenos procedimentos como fechar uma ferida com ferramentas esterilizadas podem te tirar de muitas enrascadas mais para frente e claro que o quanto mais você sabe (suturar, tratar) é melhor. Não caia nas influências de filmes, por exemplo, não, o torniquete NÃO É a melhor escolha para sangramentos (é a última) e simplesmente cobrir a ferida com gases esterelizadas pode fazer milagres e prevenir infecções;
  • Guarde iodo e semelhantes para limpeza e tratamento da ferida;
  • Aprenda como gerenciar a dor, em muitas vezes eu simplesmente bebia álcool, mas não funciona muito bem sempre. Novamente, esqueça dos filmes.
  • Um bom conselho agora… Saiba como usar o que você tem, ter agulhas e suturas sem o conhecimento não faz sentido algum.
    Não siga cegamente os anúncios sobre “o kit médico milagroso para todos problemas do apocalipse”, você vai acabar com um bando de coisas inúteis em uma bolsa camuflada bonita. Como em todas as áreas da vida hoje, as pessoas tentam vender soluções milagrosas na área da sobrevivência. Conhecimento é a chave. Claro que tem coisas boas para comprar por aí, mas tenha certeza do que você vai pegar, uma boa ideia é perguntar a um conhecido na área médica o que você vai ganhar com o kit que pretende comprar ou até mesmo você decida montar um seu.
Intoxicação por comida (e água) ruins
Você pode ter certeza que cedo ou tarde você terá de lidar com isso. Não é apenas perigoso ficar incapacitado com diarréia e vômito por que no final isso pode te matar, mas também pode te deixar fraco a ponto de não conseguir realizar suas tarefas. Em uma crise isso significa que você está fraco demais para se defender, ou ir em busca de recursos e semelhantes… E isso é ruim. Novamente, é por isso que grupos são importantes e os lobos solitários estão contra as apostas.
Eu acho que todo mundo foi intoxicado com comida ou água ruim pelo menos uma vez durante minha crise. Nós lidamos com essa situação dando chá para a pessoa conseguir tomar mais água do que estava perdendo. Haviam mortes, a maioria incluindo os mais jovens ou mais velhos.
A primeira linha da sua defesa tem de ser a higiene. Enfrente de forma séria este assunto durante uma crise. Tenha um plano para como você vai manter a si e a sua casa limpa. É muito melhor pensar como prevenir que estas coisas aconteçam melhorando a forma que você guarda e lida com a comida do que ter de confiar em um kit médico para tratar os problemas.
Um erro que as pessoas cometem quando estão com diarréia e vômito é que tentam consumir muita água de maneira rápida, isso causa mais problemas do que benefícios. O certo é consumir fluídos de maneira bem devagar e em pequenas quantidades. Por exemplo, um gole de água a cada vinte minutos ou semelhante, descanse e mantenha-se alerta com o que consumirá pelas próximas 24 horas.
Pessoas já doentes
Eu sei que as pessoas pensam que quando houver uma quebra no sistema e haver colapso tudo será resumido em adrenalina, luta, caos e sangue. Isso faz parte, mas em sua maioria, especialmente nas primeiras semanas, as pessoas com menos condicionamento experienciarão de maneira muito pior.
Pense nos pequenos problemas que você tem hoje e que poderiam se tornar gigantes se você precisar viver em estilo de sobrevivência fazendo grande quantidade de exercícios todos os dias, tendo privação de sono, estresse extremo e pouca higiente. Os problemas serão multiplicados.
Por exemplo, seu tio tem pressão alta por anos, está tomando remédios e sua família tenta “forçá-lo” a comer de forma saudável e isso tem funcionado mais ou menos, porque de vez em quando ele tem que ir no pronto socorro pois a pressão está muito alta. Quando a crise acontecer qual será o plano para regular sua pressão e por quanto tempo as pílulas estarão disponíveis para ele? Ou como ele conseguirá comer de forma saudável durante uma crise? Pela minha experiência em situações de sobrevivência, estas são as primeiras pessoas a ir.
A solução seria tentar regular a pressão sanguínea da melhor maneira possível HOJE, ter uma boa quantidade de medicamentos estocadas para ele e claro aprender tudo sobre meios alternativos de tratar essa condição (com ervas por exemplo). O ponto é fazer tudo isso hoje, pois quando uma crise estourar você talvez não tenha tempo suficiente para isso.
Por mais frio que isso pareça pense também em o que fazer com as pessoas que são contra a preparação hoje e quem você conhece que entrará em sérios problemas quando o sistema normal não conseguir suportá-los mais. Quem estará bravo pelos problemas no grupo se você simplesmente tiver de deixar aquele tio doente enfrentar seu destino? Em algum momento você terá de decidir quando o trem ficou cheio e deverá partir, então faz sentido começar a pensar nisso o quanto antes.
Como você se prepara contra doenças? Além de kits médicos, quais planos você tem? Compartilhe nos comentários abaixo!
Traduzido e adaptado do blog SHTF School.

19 usos diferentes para o sal


Você sabia que o sal serve para muito mais do que elevar sua pressão?
Diamantes podem ser mais bonitos e mais duráveis, mas existe outra rocha transparente que tem ainda mais valor para nós. Nós não temos músicas devotadas ao sal ou mulheres andando com anéis com pedaços de sal no dedo, mas nós precisamos dele para sobreviver e é ele quem faz a comida muito mais gostosa. Isso sem contar que ele tem centenas – se não milhares –  de usos práticos. Aqui estão dezenove usos diferentes e surpreendentes para ele, que vão desde limpar sua chaminé até clarear sua pele.
Velas a prova de pingos de cera
Você não odeia quando as velas escorrem cera quando queimam, fazendo aquela bagunça quase impossível de limpar? Previna isso de acontecer mergulhando velas novas em uma solução de sal forte por duas ou três horas.
Limpar espirros de comida 
Um pouco de canela e uma pitada de sal farão os espirros de comida sobre o fogão mais fáceis de limpar e prevenir que eles comecem a deixar o local cheirando mal. Apenas espirre a mistura em cima da sujeira assim que ela for derramada, enquanto o fogão ainda está quente. Quando ele esfriar basta passar uma flanela que o sal e a sujeira sairá com ele.
Testar se um ovo é fresco
Está com dúvidas se o ovo está prestando? Adicione duas colheres de chá em um copo de água e coloque o ovo dentro. Se ele está bom irá flutuar, se está choco irá afundar.
Sanitizar Esponjas
Esponjas usadas podem criar uma vasta gama de bactérias. Para recuperar o material e matar grande parte destes germes, tire toda a água e substâncias da espoja e a coloque mergulhada em uma água gelada com muito sal por uma ou duas horas.

Estender a vida útil de uma vassoura 
Vassouras de fibras naturais podem durar muito mais se você usar este truque fácil: Mergulhe-as em água quente e salgada antes do primeiro uso.
Neutralizar uma picada de abelha
Retire o ferrão e imediatamente coloque uma pasta de sal e água. Deixe secar e isso reduzirá a inflamação e a dor.
Remover a fuligem da chaminé
Uma mão cheia de sal jogada no fogo dentro da sua churrasqueira não só produzirá chamas vívidas e amarelas, mas também ajudará a deixar a fuligem da chamine mais solta, melhorando o fluxo de ar.
Alívio para Aftas
Um bochecho com água salgada vai ajudar a tirar a dor de uma afta. Dissolva duas colheres de chá de sal em 1/4 de copo de água quente e bocheche a substância durante pelo menos 20 segundos. Provavelmente irá queimar no começo, mas ajuda.
Evitar que as roupas congelem no varal
Adicione um pouquinho de sal na água da máquina de lavar quando estiver lavando roupas que você vai pendurar no quintal durante o inverno. Mergulhar as fibras de tecido na água salgada irá prevenir que as roupas fiquem duras devido ao frio.
Recupere flores artificiais
Quem tem tempo para limpar cada pétala de um buquê de flores feitas de nylon ou seda? Existe um jeito mais fácil. Apenas jogue as flores em um pote com sal. Balance o pote bem e o sal irá atrair toda a sujeira das flores.
Manter o leite fresco
Leite estragado é o pior, especialmente se você não percebeu que ele estragou quando já tomou um gole do seu copo. Mantenha-o fresco por mais tempo adicionando uma pitada de sal dentro da caixa e gentilmente mexendo para que esta se dissolva.
Fazer o café menos amargo
Café amanhecido (velho) pode ter seu gosto amargo muito melhorado com uma pequena pitadinha de sal, que também irá melhorar o sabor.
Remover sangue, vinho ou outras manchas difíceis
Seque o vinho derramado jogando sal por cima para que ele absorva a substância. Tecidos manchados com sangue podem ser recuperados se mergulhados em água salgada gelada e depois lavados em água quente e com bastante sabão.
Prevenir que frutas cortadas fiquem marrons
Mergulhe maçãs cortadas, peras e outras frutas suscetíveis a ficarem marrons com o tempo em uma água levemente salgada para preservar o aspecto de frescor.
Manter as janelas sem gelo
Para evitar que o gelo e neve acumulem nas janelas da sua casa e veículo, mergulhe uma esponja em água salgada e passe pelo lado interno e externo do vidro, depois passe um tecido macio e seco.
Desodorizar sapatos
Tire o cheiro ruim de umidade dos seus sapatos jogando um pouco de sal dentro e depois de certo tempo, tirando o sal todo. Não use esse truque em sapatos de couro ou sintéticos, pois poderia secá-los demais e causar rachaduras.
Reduzir o inchaço dos olhos
Então você passou a noite inteira acordado chorando pelo amor perdido – ninguém precisa saber. Elimine a evidência misturando uma pitada de sal em um pouco de água quente e aplicando na área das olheiras e inchaços ao redor dos olhos com um cotonete. O sal irá ajudar a tirar a umidade e esticar a pele.
Dê um brilho na sua pele
Massageie uma mistura de sal e azeite de oliva na sua pele em movimentos circulares, deixe por alguns minutos e depois lave com água. A massagem ajuda a circulação na sua pele, o azeite de oliva umedece e o sal tira as células mortas.
Aumentar o brilho de roupas amareladas
Brancos amarelados podem ser trazidos de volta para sua cor original sem o uso de cloro. Ferva os itens de algodão em um pote com água com algumas colheres de sal e mais algumas colheres de bicarbonato de sódio.

Como realizar uma atadura em ferimentos com objetos perfurocortantes


Para iniciar o ano decidimos lançar um vídeo bastante interessante produzido pelo nosso autor Jônatas, que se refere a como efetuar ataduras em um ferimento que ainda está com o objeto perfuro cortante preso na ferida.
ataduras
Este conhecimento é de valor imenso para nós que estamos sempre lidando com ferramentas e/ou nos expondo a situações onde não há atendimento médico imediato. Lembre-se de que tais procedimentos só devem ser realizados em caso de extrema urgência onde não há alternativa melhor, caso haja, priorize que o atendimento seja feito por uma pessoa especializada.
Segue o vídeo:
Esperamos que gostem!


Suporte Básico de Vida: Como reanimar alguém com parada cardíaca?


Curso Salve uma Vida é uma iniciativa da SBA tem por objetivo levar a população em geral informações importantes em uma linguagem simples, de forma a permitir o diagnóstico e início de reanimação cardíaca em pessoas vítimas de Parada cardíaca.
Definição de Sobrevivencialismo: O sobrevivencialismo é um movimento de grupos ou indivíduos (chamados sobrevivencialistas) que estão ativamente preparando-se para emergências… Bem se estamos nos preparando para emergências, vamos nos preparar para uma que realmente pode fazer a diferença entre a vida e a morte.
Motivos para aprender e praticar Suporte Básico de Vida:
  • Quase 80% dos casos de parada cardíaca acontecem em casa e são presenciados por um membro da família;
  • Menos de 10% sobrevivem. Isso por que a maioria das testemunhas não sabem fazer a reanimação básica;
  • A reanimação feita por quem presencia a parada cardíaca pode “dobrar” a chance de sobrevivência;
  • Cada minuto após a parada cardíaca diminui as chances de sobrevivência em 10%;
  • A parada cardíaca súbita é normalmente causado por um ritmo cardíaco anormal chamado de fibrilação ventricular;
  • As PCR também podem ser causadas por um infarto, choque elétrico ou por afogamento;
O que é e como descobrir se alguém esta em parada cardíaca?
  • Uma parada cardíaca acontece quando o coração PARA de BATER;
  • O diagnóstico deve ser feito o mais rápido possível, via de regra a pessoa que esta em parada cardíaca esta caída, devemos chamar a pessoa (senhor!!!), estimulando a pessoa pela ombros;
  • O paciente já pode ser considerado em parada cardíaca e deve-se iniciar rapidamente a reanimação  caso ele não responda a esse estimulo tátil e verbal;
  • Também podemos considerar parada cardíaca a pessoa que não respira ou que inconsciente respira com muita dificuldade;
Agora que conseguimos saber se uma pessoa esta em parada cardíaca, o que fazer?
American Heart Association’s AHA sugere o uso da Cadeia de Sobrevivencia:
A cadeia de sobrevivência do adulto é constituida por 5 elos, são esses:
1º Reconhecimento imediato da parada cardíaca e acionamento do serviço e Urgência (SAMU 192 ou Resgate 193);
2º Reanimação: Ressuscitação Cardío Pulmonar RCP, com enfase nas compressões torácicas ;
3º Rápida Desfibrilação (existem desfibriladores automáticos em diversos locais como shopping, estádios, aviões e grandes supermercados, na maioria dos casos a rápida desfibrilação esta relacionado a chegada do serviço de emergência).
Os próximos 2 elos dependem única e exclusivamente da chegada do resgate, são eles:
4º Suporte avançado de vida;
5º cuidados pós parada cardíaca eficiente;
 Como disse antes, devemos dar enfase nos 3 primeiros elos da corrente, simplesmente por que é aqui que realmente podemos agir. (desculpe mas por diversas vezes esse texto vai ser repetitivo, mas isso é intencional)
1º Reconhecimento imediato da parada cardíaca e acionamento do serviço e Urgência (SAMU 192 ou Resgate 193);
2º Reanimação; Ressuscitação Cardío Pulmonar RCP, com enfase nas compressões torácicas ;
3º Rápida Desfibrilação
O primeiro ELO da cadeia de sobrevivência é CHAMAR AJUDA, gritar para alguém ou telefonar para o serviço de Urgência:
O primeiro ELO é constituído basicamente de 3 ações principais:
1ª ação:Reconhecer rapidamente a parada cardíaca (perda da consciência, não meche e não respira ou respira com dificuldade);
2ª ação: Acionamento rápido do serviço de Emergência (SAMU 192 e Resgate 193);
3ª ação: Posicionamento correto da vitima;
O segundo ELO da cadeia de sobrevivência: Reanimação precoce com ênfase nas compressões torácicas:
Esse ELO foi o que sofreu maiores mudanças com os novos guideline da AHA em 2010, do conhecido A-B-C da reanimação, mudou para o C-A-B, isso quer dizer que até 2010 dava-se uma maior enfase a Abertura de vias aéreas e Breathing (respiração). Nos novos guideLines a enfase é primeiro para as Compressão torácica.
Considerações importantes sobre o SEGUNDO ELO:
• Localização das mãos durante a reanimação, traçar uma linha entre os dois mamilos (meio do peito); apoiar firmemente a região hipotenar da mão; com uma mão sobre a outra mão;
• Relação 30 compressões / 2 ventilações;      COMPRIMA rápido, 100 / minuto;
                                                                                             COMPRIMA forte, 5 cm;
• CUIDADO! Evitar HIPERVENTILAÇÃO, ventilação boca a boca de 8 a 10 ciclos por minutos, o segredo é contar 1001, 1002, 1003, 1004, 1005, 1006 e somente depois ventilar novamente.
O terceiro ELO da cadeia de sobrevivência: Desfibrilação Rápida. Lembre-se existem desfibriladores automáticos em diversos locais como shopping, estádios, aviões e grandes supermercados, porém na maioria dos casos a rápida desfibrilação esta relacionado a chegada do serviço de emergência:

Os DEA´s Desfibriladores Externo Automático, são aparelho capazes de diagnosticar o ritmo cardíaco, decidir se esse ritmo é ou não desfibrilável e auxiliar nas manobras de ressuscitação.
 Esse é o simbolo da presença de um DEA no local:
Bem como disse antes, para a população geral os 3 primeiros ELOS são os mais importantes, espero realmente que essas dicas possam ser úteis em uma situação de emergência.

 


Página inicial