PROJETO HAARP - HIGH FREQUENCY ACTIVE AURORAL RESEARCH PROGRAM







Em uma remota instalaçao cercada por arame farpado, elevam-se 36 antenas numa área limpa da floresta negra que se estende por centenas de milhas pelo Alasca. Concluído em dezembro de 1994 e agora sendo testado, o campo de antenas é a parte visível de um poderoso e sofisticado transmissor de rádio de alta freqüência.
Este projeto do Pentágono sobre a físicas de rádio foi denominado Programa de Pesquisa da Alta Freqüência de Auroral Ativa (HAARP) oficialmente se propõem a ampliar o conhecimento sobre a natureza da comunicações de rádio de faixas longas e a vigilância utilizando a flutuação da ionosfera, a porção da atmosfera superior que se estende de 35 milhas a 500 milhas sobre a superfície da Terra.
De acordo com o gerente do programa, John L Hecksher, do Laboratório de Phillips na Base da Força Aérea de Hanscom, Massachusetts, as aplicações militares em potencial desta pesquisa HAARP incluem o desenvolvimento de um detector de cruzeiro para projéteis e comunicação com submarinos para o Departamento de Defesa . " Embora HAARP esteja sendo administrado pela força aérea e Marinha, é puramente uma instalação de pesquisa científica não oferece nenhuma ameaça a adversários potenciais e não tem nenhum valor como um objetivo do exército", diz ele. Mas esta é só a parte publicamente anunciada do programa.
HAARP também tem um programa de trabalho secreto: procurando metas militares mais exóticas, como localizar fábricas de armas profundamente enterradas milhares de milhas -- E ALTERAÇÃO ATÉ MESMO DO CLIMA LOCAL SOBRE UM TERRITÓRIO DE INIMIGOS. Um documento interno de 1990, obtido por Ciência Popular, diz que as metas globais para os programas são as de controlar processos ionosféricos de um modo tal que melhore grandemente o desempenho do comando militar, CONTROLE, e sistemas de comunicações". E fornece uma descrição das aplicações seguintes:
* Injetar energia de freqüência alta de rádio na ionosfera para criar uma grande freqüência , extremamente baixa (ELF) utilizando as antenas para uma virtual topografia penetrante da Terra --perscrutando profundamente sob a superfície do chão, colecionando e analisando ondas ELF refletidas que se irradiaram de baixo acima.
* Aquecer as Regiões da ionosfera inferior e superior para formar Lentes " virtuais " e " espelhos " que possam refletir uma grande faixa de freqüências de rádio distante em cima do horizonte e descobrir projéteis de mísseis e aeronaves furtivas.
* Ondas de rádio ELF geradas na ionosfera para comunicação a grandes distâncias com submarinos profundamente submersos. E os documentos arquivados das patentes durante uma pesquisa de um esforço anterior que evoluiu mais adiante no programa HAARP esboçam as aplicações militares da tecnologia do aquecimento ionosférico:
* Criando uma " Proteção Global" completa que destruiria projéteis balísticos aquecendo demais os sistemas deles de orientação eletrônica na medida em que voam por um poderoso campo de rádio-energia.
* Distinção entre as ogiva de combate nucleares e os chamarizes sentindo a composição elementar deles.
* MANIPULAÇÃO DO CLIMA LOCAL. Quando a instalação HAARP estiver construída completamente, vai incluir vários sensores e sistemas de análise. O seu coração é o campo de antena que agora (1995) é uma versão de demonstração de uma ordem planejada maior nomeada Instrumento de Pesquisa Ionosférica (IRI) que incluirá 360 antenas. O IRI é projetado para modificar temporariamente remendos da atmosfera superior de 30 milhas de diâmetro excitando, ou aquecendo os elétrones constituintes deles e íones com raios focalizados de poderosa energia de rádio.
Uma analogia doméstica seria um forno de microonda que aquece comida excitando suas moléculas de água com energia de microonda. Lentes virtuais e espelhos serão gerados dentro da ionosfera, e se o IRI funcionar como planejado, ao esquentar um remendo precisamente da ionosfera inferior, o IRI reduz sua densidade relativa para a atmosfera circunvizinha. Uma " Lente Ionosférica " assim formada pode focalizar um raio de rádio na ionosfera superior.
Normalmente, quanto mais altas as ondas de rádio-freqüência se radiodifundem do chão, mais é absorvido ou espalhado na ionosfera inferior, e poucas delas alcançam as tais altitudes. Logo o raio de rádio focalizado excita um remendo da ionosfera superior para formar um espelho virtual.
Finalmente, uma rádio comunicação radiodifusão notável pelo IRI, focalizada pela a lente e refletida pelo espelho pode ser dirigida bem acima do horizonte.



Observem acima a anomalia exposta nas nuvens.


Projeto HAARP, Uma Expansão do Projeto Montauk
Preston Nichols e Peter Moon
Excerto do capítulo "Guerra nas Estrelas e Transmissões de Controle da Mente", em Encontro nas Plêiades, uma Visão Interior dos UFOs
Transmissões de controle da mente e outros fenômenos encaixam-se no assunto de implantes, embora eles sejam de uma natureza completamente diferente. Eu ilustrarei como eles funcionam, com uma investigação de um fato real.
No verão de 1995, recebi uma chamada telefônica de uma mulher que identificarei por Susan DaRe. Ela achava que ela era alvo de transmissões de controle da mente, transmissões de enfermidades e alguma coisa mais. Sua história interessou-me tanto que decidi visitá-la e fazer um estudo eletromagnético. Eu estava indo a uma hamfest (onde peças de radioamador são compradas e vendidas) em Virgínia, e não era muito fora do meu caminho parar em sua casa, do outro lado do Forte Meade, uma instalação militar em Maryland. Quando cheguei, saímos para jantar com seu amigo Bruce, e ela começou a contar-me a história de sua vida.
Susan nasceu em 1951, e foi adotada por uma família alemã que tinha vindo para a América após a Segunda Guerra Mundial, e que tinha se envolvido com Adolf Hitler e o Terceiro Reich. Sua família era proprietária de uma madeireira no Meio Oeste, e freqüentemente bancavam os anfitriões de pessoas da inteligência, de equipes da CIA e da NSA. Quando jovem, ela teve uma espécie de iniciação mágica. Susan foi subseqüentemente implantada, e cresceu. Hoje em dia, ela afirma possuir tremendas habilidades psíquicas.
Após adulta, Susan procurou pelo seu pai natural, e descobriu que ele servira por muito tempo no Egito, e tinha uma posição bastante elevada na inteligência militar dos EUA. Isto foi tudo que ela pôde descobrir, exceto pelo fato de que ele queria rejeitar qualquer ligação com ela.
Depois de contar-me a sua história, ela disse que ainda estava sendo visada, e que sua família de adoção ainda estava ligada à comunidade de inteligência (CIA). Susan acredita fortemente na teoria comum de que as raízes da CIA tiveram início com a SS nazista. Ela falou que a razão de estar sendo visada era o negócio da madeireira. Quando o seu pai de adoção morreu, ela iria receber a metade, e a outra metade iria para o seu irmão de adoção, de um total avaliado em quarenta milhões de dólares. Susan acredita que a comunidade de inteligência, trabalhando em conluio com seu tio "mago negro", queria livrar-se dela, de modo que o filho natural pudesse receber toda a herança.
Enquanto nos dirigíamos para sua casa, após o jantar, comecei a fazer um estudo eletromagnético. Sintonizei primeiro em um sinal de 1080 MHz, que estivera estudando por um mês. Percebi que quando ficava perto do seu carro, o sinal aparecia. Quando ela ficava distante, o sinal desaparecia. Era como se o transmissor daquele sinal estivesse no carro dela. Eu sabia que este não era o caso, porque estivera captando o mesmo sinal por toda a [rodovia] Noroeste, e não era possível que ele estivesse sendo transmitido do carro. Mas não havia dúvida que o sinal estava sendo dirigido a Susan.
Tão logo chegamos à casa dela, comecei uma investigação eletromagnética no local. Imediatamente encontrei o sinal de 1080 MHz, e também encontrei o sinal de 435 MHz que rotineiramente emana das vizinhanças de Montauk*. Encontrei também uma forte transmissão em ELF (freqüência extra-baixa), mais baixa do que meu equipamento podia captar (cerca de 50 a 400 KHz). Gravei em vídeo-tape as imagens dos diferentes sinais.
O sinal de Montauk em 435 MHz era particularmente interessante, porque sempre que o captava, ele se separava. Se as partes fossem postas juntas, poderiam formar um sinal igual ao que eu estava vendo em Maryland. Enquanto Susan se movia para dentro e para fora de sua casa, eu percebia mudanças sutis no visor padrão, para o sinal de 435 MHz. Ela andava à volta, e onde quer que se posicionasse, uma mudança sutil se mostraria no visor e ficava perceptível também nos receptores. A seguir, voltei a sintonizar o sinal de 1080 MHz, e tentei a mesma coisa. Percebi que se ela se sentasse no carro, o sinal de 1080 MHz enfraquecia. Se ela se movesse, ele voltava.
Susan mostrou-me então um relato do Dr. Peter Moscow. Ele é o presidente da Associação de Psicotrônica dos EUA, e um excelente pesquisador bioeletro-magnético. Ele se envolveu com os trabalhos de Wilhelm Reich e radiônica, e eu já estava familiarizado com ele. Seu relato indicava que ela tinha tido danos cerebrais, e estava exposta a campos eletromagnéticos aberrantes, tais como ELF e VLF [freqüência muito baixa]. Eu tinha, definitivamente, captado os campos eletromagnéticos aberrantes (os sinais em 435 MHz e 1080 MHz).
Quando Susan fez uma tomografia, houve seções de seu cérebro onde o revestimento de mielina estava desaparecendo. Sabe-se que isto é o início da esclerose múltipla. Ela acredita que esta doença é o resultado das transmissões de radiodifusão em sua direção. Acredito nesta possibilidade, e explicarei o por quê. Primeiro, diremos o que a rede de 435 MHz a 1080 MHz realmente faz.
Estes sinais começam como transmissão de partículas, do mesmo modo que descrevi em Pirâmides de Montauk. A idéia do acelerador de partículas é aumentar continuamente a velocidade de uma unidade de energia eletromagnética (um átomo de nitrogênio é o melhor para interagir com a atmosfera). Como as partículas se aceleram à velocidade da luz, vastas quantidades de energia são liberadas.
Há cerca de 24 a 36 destes locais em volta do planeta. Cada um deles visa uma série de pequenos satélites, que são referidos como satélites popcorn [pipoca]. Tudo isto é parte da Iniciativa de Defesa Estratégica (mais comumente conhecido como SDI, ou Guerra nas Estrelas). Estes feixes direcionais saltam por toda uma rede de satélites circulando o planeta. Alguns dos satélites multiplicam os feixes, enquanto que alguns deles combinam os raios. Controlando o posicionamento e a orientação dos satélites, os militares podem dirigir um feixe combinado para qualquer lugar no planeta. Eles podem também desfocá-lo, para que se torne essencialmente uma onda de partículas.
Há um enigma muito interessante que tenho observado com relação a este sistema de satélites. As transmissões em 1080 MHz são altas o bastante em freqüência para, se as antenas empregadas para detectá-las forem altamente direcionais, eu deveria localizar áreas no céu onde os satélites deveriam estar em determinado momento. O enigma é que não encontro nada para onde aponto a antena, apenas um sinal de energia uniforme. Colocando esta informação ao lado do que o Dr. Nicholas Begich vem dizendo, isto levou a algumas conclusões muito interessantes.
O Dr. Begich tem publicado informação a respeito de um projeto conhecido como HAARP ou High-frequency Active Aurora Research Project . Isto é conhecido comumente como um projeto de controle do clima, mas o Dr. Begich tem captado e ouvido os sinais de 435 MHz conectados à HAARP, e indica que uma função de controle da mente está sendo empregada.
Em adição à pesquisa do Dr. Begich, há correntemente uma teoria sendo discutida com relação a uma função não linear que irá transformar uma freqüência em uma outra. Acho que é exatamente o que está acontecendo no caso do HAARP. Sinais de alta freqüência desenvolvidos através da HAARP são projetados para ionizar a alta atmosfera, a qual consiste primariamente de nitrogênio. O nitrogênio ionizado (N2), então, age como um translador, o qual literalmente converte a transmissão de partículas de 435 MHz em outra de 1080 MHz. Isto é bastante engenhoso, porque torna os satélites desnecessários. Acredito que este deve ser um dos mais recentes desenvolvimentos da tecnologia de Guerra nas Estrelas.
Comecei a imaginar isto quando encontrei pela primeira vez a freqüência de 1080 MHz, e pedi a Duncan Cameron para fazer uma leitura puramente psíquica dela. Depois de ouvir o sinal, Duncan disse que ele era aproximadamente 2,7 vezes o sinal de 435 MHz. Não está muito longe disso, em absoluto. Se considerarmos que 400 a 450 MHz é a janela para a consciência humana, você pode dividir 1080 MHz por 2,7 e chegará a 400. A relação de 2,7 é direta.
Quando pesquisei esta informação com Dan, meu amigo físico nuclear, ele ficou excitado, porque 2,77 é a relação do nitrogênio para o ar com relação à atmosfera da Terra. Em termos científicos, fica assim:
M(ATM)/MN2 = 2.77
Em outras palavras, se você divide a massa da atmosfera pela massa do nitrogênio, chegará a 2,77. Esta informação era o indício inicial de que havia uma relação entre o nitrogênio e as transmissões em 435 MHz. Baseado em sua experiência, Dan concluiu que nós estávamos muito provavelmente tratando com um raio de partículas de nitrogênio. A informação acima sobre HAARP finalmente explicou o que estava acontecendo.
Dan também falou sobre um efeito colateral que é produzido quando as partículas aniquilam-se umas às outras. Ele falou que quando o nitrogênio e o antinitrogênio colidem, o elemento xenônio é liberado. Um par de testes radiônicos feito nas pessoas atingidas pelo sinal de 1080 MHz indicou que elas tinham um algo grau de nitrogênio e xenônio em seus sistemas. Os sintomas de Susan eram a narcose pelo nitrogênio, mais comumente conhecido como bends [euforia semelhante à resultante da bebedeira, causada por descompressão muito rápida após um mergulho muito profundo no mar].
Tudo isto se tornou ainda mais interessante, porque a leitura psíquica de Dan mostrou que o sistema de raios de partículas também pode ser usado na engenharia genética. Pesquisei então esta informação com um geneticista amigo meu, que achou isto notável, porque a subharmônica da hélice de DNA é de 1100 MHz. Ao mesmo tempo, uma outra pessoa ressaltou um livro de um canadense, que indicou que se alguém usasse uma certa freqüência com uma lâmpada xenônio, criava-se um pensamento-forma que era saudável e regenerador.
A teoria aqui é que alguém pode literalmente fazer engenharia genética usando a freqüência de 1100 MHz para entrar em ressonância com o DNA, e com isso abri-lo e fechá-lo. A aniquilação de partículas (em um acelerador de partículas) libera um padrão que controla o modo como o DNA irá rearranjar a si mesmo. O efeito do gás xenônio poderia ser usado para regenerar o novo DNA. Pesquisei isto com Al Bielek, que disse que ele tinha um amigo cientista que tinha lido anteriormente todo o projeto da rede completa de satélites. Este cientista disse-lhe que às pessoas na empresa que trabalhava que, se este sistema fosse lançado na população como um todo, isto poderia destruir geneticamente a raça humana.
Anteriormente, aqui (neste artigo) mencionei o dano no revestimento de mielina, em Susan DaRe. Este poderia ser o efeito genético degenerativo do qual o amigo de Al avisou. Pode ser a razão porque temos visto a MS [Multiple sclerosis – esclerose múltipla] aparecer por todo o país. Tem sido relatado um incremento pelo menos centuplicado da MS nos últimos cinco anos.
Tudo isto significa que o sistema inteiro de Guerra nas Estrelas poderia ser usado para atacar nossos sistemas imunológicos e o bem-estar mental. Já sabemos que 400 a 450 MHz é a freqüência para a janela da consciência humana; e 435 MHz é a freqüência específica relacionada com a aparição de UFOs. Ela também provém da Via Láctea, e pensa-se que é a freqüência por trás de nossa realidade. O sistema Guerra nas Estrelas, ou pelo menos parte dele, transmite um sinal entre 1000 e 1200 MHz que é derivado de um raio de partículas baseado no nitrogênio. Este sinal é uma multiplicação de 435 MHz, a freqüência por trás de nossa realidade.
Os sinais que captei durante esta pesquisa eletromagnética estavam entre 1080 MHz (2,7 vezes 400) e 1124 MHz (2,7 vezes 416 MHz), e supõe-se que a freqüência de 1100 MHz seja a janela para o DNA humano. Não pude conseguir que o geneticista a ligasse a uma freqüência exata, então isto é uma aproximação. Ele disse que era entre 1000 a 1200 MHz. Uma maior corroboração desta teoria é fácil de reconhecer, se você percebe que a estrutura molecular de proteínas contém nitrogênio como ingrediente primário. Isto faz com que a relação nitrogênio/ar comece a ter mais sentido. O aparecimento do nitrogênio em proteínas não contradiz o fato de a vida ser baseada no carbono. A vida evolui para formas de ordem mais elevada, e esta desenvolve proteínas, que consistem de nitrogênio.
A programação genética sugere alguma coisa muito além do espectro de guerra biológica: sugere também a possibilidade de misturar ou rearranjar o nosso DNA. Este tipo de pensamento prevalece em certos dogmas da New Age, os quais indicam que a raça humana está passando por uma mudança transdimensional. Que anjos aparecerão para rearranjar nosso corpo de luz, de forma que você possa ressoar em uma oitava mais alta. Isto pode ser verdade, mas se anjos ou outros seres dimensionais estão fazendo isto, isto é muito teórico e sobrenatural. Se o governo secreto ou o complexo industrial-militar possui esta capacidade, nós estamos lidando com um cenário inegavelmente real. Há muitas possibilidades.
O que penso sobre isto é que as elites que detêm o poder neste planeta estão receosas de desistir disso tudo. Seu interesse em controlar o nosso DNA estaria em evitar uma migração para outra dimensão. Daí a razão de eles estarem pesquisando esta tecnologia.
Uma segunda possibilidade é que eles estão nos ajudando, em nosso próprio benefício. Este seria um pensamento esperançoso, para dizer o mínimo.
Uma outra possibilidade é que todo o projeto esteja sendo orquestrado para uma vasta experiência. Ele poderia ser para o melhor ou pior do contínuo [espaço]. Pode ser que os maus tenham planos, seja para entrar ou no mínimo subjugar toda a raça humana. Ao mesmo tempo, os bons, ou mestres ascenços, estão deixando-os agir até que possam pará-los no último minuto, e levar-nos todos para o próximo nível. Alguma variação deste tema também é possível. Há muitos diferentes mestres fantoches que poderiam estar envolvidos.
Há uma ilha infame na bifurcação norte de Long Island, que é chamada Plum Island [Ilha das Ameixas]. É um território proibido para a mídia ou para qualquer um, e há muito tempo que se pensa que é um centro de pesquisas bacteriológicas, que inclui guerra biológica. Isto foi verdade por muitos anos, mas eu sei que hoje eles estão preocupados com pesquisas genéticas humanas, baseadas em aceleradores de partículas. Estes aceleradores não são secretos, e podem ser vistos do ar.
Nenhuma destas informações é incluida com intenção de assustar alguém. É de nosso máximo interesse saber de tudo que possa ser usado contra nós. Não significa que serão, mas saber sobre isto constitui a primeira linha de defesa.
***
* 435 MHz refere-se a quaisquer frequências dentro da faixa de 400 a 500 MHz, e 1080 MHz refere-se a aquelas na faixa de 1000 a 1200 MHz. Os técnicos deverão notar que tomei um cuidado extra para assegurar que não estava captando a transmissão do GPS (Global Positioning System), que transmite em 1236 MHz e é usado por navios e aviões para o propósito de navegação.



Influenciar o comportamento humano:
O Haarp pode inclusive influenciar o comportamento humano através de ondas de interferências magnéticas (Emi Electro magnetic interference), podem ainda desabilitar equipamentos de comunicação eletrônicos ( milhares por exemplo) utilizando pulsos eletromagnéticos (EMP: electro magnetic pulse) controlados.
Podem caudar terremotos usando freqüências de som que causem ressonâncias nas placas tectônicas.
Teoricamente é possível produzir terremotos ou pontos de ruptura por microondas, através da expansão das moléculas de água do interior das rochas.
O Projeto HAARP iniciou-se na década de 90, financiado pelo Pentágono, está sob coordenação da USAF ( United States Air Force) através da universidade do Alasca ( em Gakona ) ( http://www.haarp.alaska.edu/ ) e da USNAVY através do Naval Research Laboratory(http://server5550.itd.nrl.navy.mil/projects/haarp/index.html) 
Para fins militares o Haarp teria várias aplicações, por exemplo inutilizar equipamentos eletrônicos do inimigo, detectar mísseis e aviões de baixo nível, detectar depósitos subterrâneos de armamento de um país inimigo ou armas nucleares, novo sistema de comunicações entre submarinos, etc.
Os EUA investiram dezenas de milhões de dólares para essa tecnologia de tomografia de penetração da terra, intensas radiações podem usar-se para observação da terra a km de profundidade ( para encontrar bases subterrâneas de armamento, etc). Acontece que essas freqüências elevadas perturbam as funções cerebrais humanas.
O próprio  "Airpower journal" em 1996 disse que o exército americano está a desenvolver armas psicotronicas e eletrônicas, não letais, para afetar humanos.









0 comentários:

Postar um comentário